Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Iury Lima – Da Revista Cenarium

VILHENA (RO) — A Prefeitura de Porto Velho cancelou a programação de 2022 para o tradicional Carnaval de rua. O motivo é o aumento de casos da Covid-19 e da Influenza (H3N2), no Estado de Rondônia. O anúncio foi feito nesta última quinta-feira, 13, por meio do Decreto Nº 17.887/2022, publicado do Diário Oficial dos Municípios (DOM), proibindo a realização de festas públicas e particulares, mas autorizando, por outro lado, que bares, boates e restaurantes abram as portas.

“É necessária essa medida, pois nós vivemos tempos de muita apreensão. Além da pandemia e essa nova variante, a Ômicron, nós temos, em paralelo, uma epidemia de gripe. E nós não sabemos, realmente, o que vai acontecer nos próximos 30 dias. Por isso, por uma questão de cautela e, principalmente, pela proteção à vida dos nossos porto-velhenses, nós decidimos cancelar o Carnaval de rua. Vamos torcer para que ainda neste ano, quem sabe, no São João, nós possamos comemorar os festejos com tranquilidade e segurança”, disse o prefeito Hildon Chaves (PSDB), em vídeo enviado à CENARIUM, pedindo a compreensão da população e adesão às medidas restritivas.

Prefeito Hildon Chaves pede cautela e compreensão à população de Porto Velho (Prefeitura de Porto Velho/Reprodução)

Restrições e penalidades

O decreto válido na capital de Rondônia proíbe a realização de festas particulares e gratuitas à população, sejam elas em ambientes externos ou locais fechados e se aplica, ainda, aos eventos em propriedades rurais. Blocos de rua e aglomerações de qualquer tipo também estão proibidas. 

No entanto, bares, restaurantes e boates podem funcionar desde que se adéquem aos protocolos sanitários, devendo promover distanciamento social entre os clientes e cobrar o uso de máscaras de proteção durante toda a permanência nos locais.

Já a fiscalização ficará por conta do Departamento de Vigilância Sanitária e Defesa Civil Municipal, que aplicarão multas e outras penalidades cabíveis em caso de irregularidades. “As infrações ao Decreto serão informadas à Polícia Militar, Polícia Civil e ao Ministério Público de Rondônia. A desobediência poderá resultar na aplicação de penalidades previstas no Art. 268 do Código Penal, bem como de outras medidas previstas na legislação municipal”, informou a prefeitura.

Atração virtual

Esta será a segunda vez que a ‘Banda do Vai Quem Quer’ não fará a tradicional apresentação pelas avenidas de Porto Velho, por conta da pandemia. O grupo que já chegou a reunir cerca de 100 mil foliões e se tornou uma das mais importantes atrações do festejo, anunciou, ainda em novembro de 2021, que não faria o desfile em respeito às vítimas da Covid-19. No lugar da ‘farra’ de rua, a organização realizará uma live no dia 26 de fevereiro, sábado de Carnaval.

‘Banda do Vai Quem Quer’ já reuniu cerca de 100 mil pessoas nas avenidas de Porto Velho (Reprodução)

Aumento de casos

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Rondônia registrou, até esta última quinta-feira, 13, 288.595 casos de Covid-19. Desse total, 6.782 pessoas perderam a vida e 133 estão internadas com complicações da doença.

Só a capital Porto Velho, que ocupa o primeiro lugar no total de casos entre os 52 municípios, tem 89.284 registros desde o início da pandemia; 2.551 portos-velhenses morreram.

Além disso, com mais de 800 casos de H3N2, 20 pacientes estão em leitos de UTI; entre eles, o primeiro caso de ‘flurona’, a dupla infecção por Covid e Influenza: uma mulher hospitalizada há mais de 20 dias. Em todo o Estado, a gripe já fez 16 vítimas.