Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Reprodução/TV Cultura
Reprodução/TV Cultura

O Estação Livre desta sexta-feira (2) fala sobre personalidades negras que não receberam o devido reconhecimento histórico. O jornalista e escritor Francisco Lima e o historiador e escritor Amailton Magno Azevedo são os convidados do programa.

Uma das áreas que a população mais sofreu foi a literatura. Na análise de Lima, os negros sempre foram desacreditados e tiveram sua inteligência questionada por parte da sociedade.

“A gente percebe que houve uma falta de convívio familiar. Essas pessoas deixaram muitas coisas para trás, não constituíram família, perderam amigos ao longo da trajetória para se manter nesse perfil de intelectualidade”, diz o escritor.

Um dos autores mais citados ao longo da resenha foi Lima Barreto, jornalista e escritor negro que viveu no final do século XIX e início do XX. Durante a resenha, todos chegaram a conclusão que o fato das obras de Barreto se manterem tão atuais mostra que a sociedade mudou muito pouco.

Leia também: Carnaval 2023 em SP: Festa de lançamento do CD dos sambas enredos acontece no sábado (3)

“Talvez o Lima [Barreto] seja o primeiro autor na primeira República a assumir essa identidade negra e entender o seu tempo. Ele entendeu que a abolição não se completou, que os descendentes de negros, na transição pós-abolição, não conquistaram sua plena cidadania. Por isso era um crítico da República e de uma elite que queria montar uma sociedade completamente branca”, explica Magno Azevedo.

Assista ao trecho completo:

O programa Estação Livre é apresentado pela jornalista e empreendedora Cris Guterres, considerada pela revista Forbes uma das criadoras de conteúdo mais inovadoras de 2020. Feita por uma maioria de mulheres pretas, a atração tem a missão de valorizar a cultura.

Assista ao programa na íntegra: