Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Getty Images
Getty Images

O respeito à diversidade e a tolerância são fundamentais para a construção de uma sociedade inclusiva. Ensinar crianças brancas a respeitarem as diferenças e eliminarem comportamentos discriminatórios é missão de pais e educadores.

Em entrevista ao Jornal da Tarde, o pediatra Paulo Telles explicou como crianças brancas podem acabar aprendendo e reproduzindo atitudes racistas. "A gente vive em uma sociedade em que o racismo é estrutural. A criança aprende por observação. Ela aprende muito mais com o exemplo que os pais dão, que a sociedade impõem para elas, do que aquilo que a gente fala para eles fazerem", disse.

O profissional ainda ressaltou que a falta de convivência com crianças negras, seja na escola ou em locais de lazer, é um fator que pode estimular comportamentos racistas por parte de crianças brancas. "Você acaba criando na cabeça da criança uma relação de diferença", afirma. Para ele, a educação é uma maneira de ensinar o valor da diversidade: "É importante a gente tentar incluir essa pauta na educação. A história afro-brasileira, a história do negro como participação na sociedade, devia estar na educação infantil".

Sobre as formas de corrigir o comportamento de crianças nos casos em que elas expressam o racismo, Telles indica uma comunicação clara e aberta: "Você tem que, no dia a dia, observar as atitudes do seu filho e lembrar que ele está se espelhando nas suas atitudes. Muitas vezes ele está fazendo exatamente o que você faz. E sempre lembrar que esse é um tema, quando a gente fala de racismo, é um crime. A gente tem que colocar isso para a criança de maneira clara para que ela entenda que não é uma coisa leve".

"A criança não nasce racista. Ela aprende esse conceito. Se eu ensino a criança a ter preconceito, eu consigo também ensinar o amor e ensinar as crianças que elas são iguais", completou o pediatra.

Assista à íntegra da entrevista com Paulo Telles: